TESTES: COLORIZAÇÃO

            Da mesma forma que um pintor precisa visualizar a pintura ou imagem finalizada antes mesmo de pegar um pincel, o colorista tem que “passar através” da cena que irá colorir. É como assistir a uma cena de filme em sua mente: você tem que ter a habilidade de coreografar os quadros antes de colorir. Qual a tonalidade (cor) geral da cena? Qual a iluminação? Sombras? Quais os pontos chaves de interesse e foco em cada quadro?

            Para isso, o primeiro passo em qualquer trabalho de colorização é ler a história inteira! Assim, antes mesmo de começar a colorir você terá todas as referências de cor que o trabalho exige. Você já saberá, por exemplo, que não deve colorir a página sete como um dia quente e ensolarado, porque o narrador se referiu a ela como sendo “uma noite fria e de vento”.

            É importante ler e reler o roteiro com a finalidade de formar uma “estratégia de jogo” na sua mente para a colorização, que o auxilie durante todo o processo. Estratégia de jogo refere-se à capacidade de criar um monólogo na sua mente capaz de narrar e seguir a história usando esquemas de cores diferentes e apropriados para cada cena e suas mudanças ao longo do roteiro.

            Imagine uma cena que se passa em um hospital, por exemplo, a tendência é colorir com branco, azul claro e/ou verde claro porque essas são as cores que, geralmente, associamos com limpeza e hospitais. Na próxima cena o personagem principal sai do hospital e começa a andar pela cidade à noite; bem, por ser noite já associamos com tonalidades escuras e azuis, mas, também, por estar na cidade, provavelmente usaremos um pouco de amarelo e laranja quentes saindo de algumas janelas. Já na outra cena, o personagem está no interior de um laboratório científico do governo, rodeado de máquinas enorme; provavelmente veremos mais variações de tons cinzas frios, especialmente no fundo e no plano médio, e talvez alguns cinzas quentes no primeiro plano e ao redor dos personagens principais.

            É mais ou menos assim que funciona a “estratégia de jogo” para a colorização, com algumas variações, claro, pois cada um tem seu jeito individual de expressa-lo e aplica-lo. Não esqueça de planejar e ficar atento, também, aos planos, a profundidade, a iluminação e a todos os outros elementos que compõem uma cena. Pegando o exemplo anterior da cena do hospital, não é aconselhável colorir todas as roupas e itens do fundo com verde, vai parecer uma cena que ocorre na terra dos duendes e não num hospital. Pensando nas tonalidades e colorindo as paredes e o uniforme da equipe médica com tons de verde agradáveis, você cria um esquema de cores reconhecível que ambienta o leitor, lembra-o que a ação está de fato se passando num hospital.

            Ao final do processo, se você fez um bom trabalho, sua estratégia de jogo nunca será óbvia para o leitor, mas fará com que ele subliminarmente passe facilmente pela história, cena a cena.

Orientações ao artistas:

  • O artista colorista deve mandar de 4 a 6 páginas de arte em quadrinhos (coloridas por completo);

  • Se precisar de material para coloris, mande-nos um e-mail e providenciaremos alguns desenhos;

  • Colorir uma parte essencial na arte de contar uma história, por isso o colorista deve interpretar o desenho e contar a história através da cor: dando profundidade, efeito dramático, sensações e, o mais importante, clareza;

  • As personagens e objetos mais importantes em cada cena devem ser claramente visíveis para o leitor e isso, com frequência, requer que pessoas e coisas sejam coloridas de maneira diferente do que como seriam na vida real (Ex.: um quadro mostra o Homem-Aranha de pé no meio de uma dúzia de pessoas: o Homem-Aranha pode ser colorido normalmente enquanto que o grupo de pessoas devem ser coloridos de uma forma monotonica – vários tons desbotados ou parecidos – para garantir que o herói seja claramente visto no quadro);

  • Coloristas devem, em alguns momentos, passar sensações, por isso possuem uma certa liberdade criativa em relação a realidade (Ex.: um desenhista fez uma sequência de quadros nos quais o Lobo fica nervoso: o colorista pode usar uma variedade de vermelhos – cor frequentemente utilizada para transmitir ideia de raiva/ira – tanto no lobo quanto no fundo).